Compartilhar Facebook   
Favoritar
EM REVISTANOTÍCIAS — ESPECIALISTAS TEMEM IMPACTOS NA EDUCAÇÃO APÓS TERCEIRIZAÇÃO...

Especialistas temem impactos na educação após terceirização

A sanção do projeto de lei que libera a terceirização para todas as atividades de empresas poderá, na avaliação de especialistas, levar à redução de concursos públicos na área da educação e fortalecer a administração de escolas por Organizações Sociais (OS), que poderão também cuidar da contratação de professores.  A questão gera polêmica entre sindicatos, que temem uma desvalorização dos docentes, e desperta discussões jurídicas sobre a viabilidade desse tipo de contratação.


O projeto, criado em 1998 e votado no Senado em 2002, prevê a contratação terceirizada de trabalhadores sem restrições em empresas privadas e na administração pública.  O empresariado apoia a medida por entender que poderá ajudar na recuperação do emprego no país. Aprovado na semana passada pela Câmara dos Deputados, o texto aguarda sanção presidencial.


O diretor do Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF), Cleber Soares, no entanto, teme que a medida tenha impacto negativo na educação com a redução de investimento e precarização do trabalho. “O trabalhador passa a ser descartável. O reflexo, em um primeiro momento, é que o professor vai trabalhar muito, mas não se sabe quanto tempo conseguirá manter o ritmo. Vai adoecer e vai acabar sendo demitido. E vai sair sem nenhum amparo”, diz Soares.


A situação do magistério no Brasil é frágil, sobretudo na educação básica: o professor brasileiro recebe menos que a média mundial, e as avaliações mostram que a qualidade do ensino precisa melhorar para garantir a aprendizagem. A rotina de trabalho dos professores, em muitos locais do país, é estafante. Dados da última edição da Prova Brasil, em 2015, mostram que a maioria dos professores trabalha 40 horas ou mais (66%) e que 40% deles lecionam em duas ou mais escolas. Pelo menos um terço (34%) tinha remuneração básica abaixo do que é determinado pela Lei do Piso (Lei 11.738/2008) para aquele ano, que era de R$ 1.917,78.


Fonte: Agência Brasil/Carta Capital 
Foto: EBC

ULTIMAS PUBLICAÇÕES
Magda Soares vence Jabuti
No dia 31/10, a Câmara Brasileira do Livro anunciou os vencedores do 59° Prêmio Jabuti. Entre os premiados,...
Inscrições para curso on-line
No dia 4/10, a Plataforma Alfaletrar abre inscrições para o curso Consciência fonológica: entre o som e...
MAIS LIDAS
Ministério da Educação divulga Censo...
O censo detalha o número de matrículas na educação básica das redes públicas municipal e estadual de...
Que personagem do Mapa da Literatura você...
Você já se perguntou que personagem da literatura brasileira você seria? Há várias figuras...
VEJA MAIS
VOLTAR
COMENTÁRIO(S)
Faça login para comentar neste artigo, clique aqui!
USUARIOUSUARIO disse em 30/03/2017 16h08
Muito bom
Licença Creative CommonsEste trabalho foi licenciado com
uma Licença Creative Commons
PARCERIAS