Compartilhar Facebook   
Favoritar
EM REVISTAENTREVISTAS — SÔNIA MADI: ALFALETRAR VAI OFERECER CURSOS ON-LINE GRATUITOS A EDUCADORES E ASSESSORAR MUN...

Sônia Madi: Alfaletrar vai oferecer cursos on-line gratuitos a educadores e assessorar municípios

A Plataforma Alfaletrar, inspirada em projeto idealizado e realizado por Magda Soares, professora emérita da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e uma das maiores especialistas em alfabetização no país, acaba de ser lançada. O portal oferecerá recursos digitais, vídeos, textos, infográficos e cursos on-line gratuitos para educadores, além de assessorar municípios que queiram implementar a metodologia do projeto. Conversamos com Sônia Madi, coordenadora da Plataforma Alfaletrar, para saber mais sobre essa iniciativa do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação Cultura e Ação Comunitária (Cenpec) em parceria com a educadora Magda Soares.


Plataforma do Letramento: Como surgiu a ideia de criar a Plataforma Alfaletrar e quais são seus principais objetivos?
Sônia Madi: O projeto Alfaletrar é desenvolvido pela professora Magda Soares na rede municipal de Lagoa Santa (MG), composta por 23 escolas que atendem alunos da Educação Infantil ao Ensino Fundamental I em Lagoa Santa (MG) desde 2007. Nosso objetivo ao criar a Plataforma Alfaletrar é sistematizar essa experiência para inspirar escolas de outros municípios a implementar o projeto. A Plataforma é voltada para educadores, gestores, técnicos e secretarias municipais de Educação.


PL: Qual é a concepção de alfabetização e letramento que fundamenta a Plataforma Alfaletrar? De que modo a relação entre esses dois conceitos impacta o ensino-aprendizagem da língua nas escolas?
SM:
Por letramento entendemos a apropriação das práticas sociais de leitura e escrita. E por alfabetização entendemos a apropriação do sistema alfabético de escrita. Há crianças que desde muito cedo estão mergulhadas em situações em que a leitura e a escrita estão presentes em seu dia a dia e outras não. Para as primeiras, o trabalho de alfabetização, de aprender as letras, seus sons, sua grafia, não representará grandes dificuldades; já para as outras isso poderá implicar grandes obstáculos. Para o Alfaletrar, a escola precisa contemplar as práticas de leitura e de produção de texto, o que ampliaria o letramento das crianças, o trabalho com fluência e a rapidez para decodificar um texto, que é o que se espera de um bom trabalho com alfabetização. Magda Soares propõe um enfoque sistemático para abordar a alfabetização com base em três desenvolvimentos: aprendizagem das letras; consciência fonológica, que é a percepção dos sons de cada palavra; e desenvolvimento psicogenético, que são as hipóteses que as crianças desenvolvem ao ler e escrever textos ou palavras.


PL: Como é o ambiente da Plataforma Alfaletrar?
SM:
A Plataforma contém três ambientes. O ambiente 1 contempla a história e a experiência do Projeto Alfaletrar em Lagoa Santa. O ambiente 2 é voltado para cursos de formação de professores, que partem de questões freqüentes entre os educadores e têm como foco colocar teorias a serviço da prática. E o ambiente 3, que será lançado no próximo ano, é exclusivo para as secretarias de Educação, onde vamos oferecer supervisão e assessoria aos municípios que queiram implementar a metodologia do Alfaletrar.


PL: O que a Plataforma disponibilizará aos interessados nas propostas do Alfaletrar?
SM:
Vamos oferecer cursos on-line gratuitos sobre os eixos de um currículo de Língua Portuguesa: oralidade, leitura, sistema de escrita e produção de textos. Os cursos são voltados a professores que trabalham com alunos de 5 a 8 anos. O primeiro curso será lançado em outubro e as inscrições serão feitas na própria Plataforma Alfaletrar. A primeira turma terá 50 vagas e contará com mediadores que incentivarão a troca de experiência entre os participantes e a reflexão sobre a prática. Com o tempo, a ideia é que o curso seja autoformativo. Com duração de seis semanas, o participante receberá um certificado de conclusão ao fim do curso. Uma proposta bastante interessante é que os professores enviarão vídeos das suas práticas educativas na sala de aula que serão comentados pelos autores do curso.


PL: De que maneiras a Plataforma Alfaletrar poderá instrumentalizar os municípios que desejarem adotar e desenvolver a metodologia do Alfaletrar?
SM:
Nesse projeto, a professora Magda Soares propõe um trabalho coletivo e em rede que requer o compromisso da secretaria da Educação em envolver todas as escolas de uma rede de ensino. Dessa forma, todos os professores da rede seguem um mesmo currículo e se comprometem com a aprendizagem de todas as crianças. Se uma criança for transferida para outra escola, ela terá a oportunidade de continuar seu processo de aprendizagem. É um modelo construído com base na troca de experiências de diferentes escolas como a discussão do currículo e das atividades a ser realizadas na sala de aula. Nós vamos assessorar os municípios que querem implementar o Alfaletrar. Pode ocorrer de se iniciar o trabalho primeiramente em uma escola e depois se estender para as demais escolas da rede.


PL: Há outros municípios que desenvolvem a metodologia do Projeto Alfaletrar?
SM:
Há quatro meses, estamos fazendo uma experiência para implementar os mesmos princípios do Alfaletrar em Ilhabela (SP). São 24 escolas municipais de Educação Infantil e Ensino Fundamental I. Uma professora de cada escola é escolhida pelos colegas para assumir o papel de formadora e participar, junto com o coordenador, dos encontros semanais do Núcleo de Alfabetização e Letramento. Ao voltar dos encontros presenciais, essa professora discute com os colegas as maneiras para desenvolver as propostas do Alfaletrar em sua escola, dependendo da realidade específica de cada escola. Os educadores estão entusiasmados com a proposta e vivenciando as práticas na sala de aula.


 


 

ÚLTIMAS ENTREVISTAS

...
MAIS LIDAS
Alfabetização e letramento
Em entrevista, Magda Soares, uma das maiores especialistas no tema, fala dos processos de...
Roxane Rojo fala de alfabetização e...
Nesta entrevista, Roxane Rojo, professora livre-docente do Departamento de Linguística Aplicada da...
VEJA MAIS
O direito de se alfabetizar...
Coluna do especialista Antônio Augusto Batista fala sobre o direito de se alfabetiza...
Letramentos e culturas juvenis
Artigo do antropólogo Alexandre Barbosa propõe reflete sobre a relação entre escola, jovens e novas tecnologias.
VOLTAR
COMENTÁRIO(S)
Faça login para comentar neste artigo, clique aqui!
LUCIA DE JESUS MENDONÇA DE SOUZALUCIA DE JESUS MENDONÇA DE SOUZA disse em 14/12/2017 17h43
Por gentileza me avise quando as vagas forem disponibilizadas eu também quero fazer este curso. muitíssimo obrigada!!!!
ANA MARIAANA MARIA disse em 21/01/2017 19h15
Como faço para me inscrever na Plataforma Alfaletrar? Sou educadora infantil e sempre tive vontade de saber da Profª Magda como agir de forma acertada com relação a alfabetização de crs de 4 e 5 anos.
ELIANAELIANA disse em 24/10/2016 22h18
Bom como pedagoga e professora alfabetizadora, gostaria muito de fazer os cursos do Alfaletrar, adorei a página e sinto que irei aproveitar muito.
SORAIA CRISTINASORAIA CRISTINA disse em 05/10/2016 15h56
Que projeto maravilhoso!! Eu ja fiz o Profa, o Pnaic e agora quero fazer esse. Como é bom aprender para ensinar com qualidade. PARABÉNS!!!!
TATIANATATIANA disse em 02/10/2016 23h01
GOSTARIA DE ME MATRICULAR EAD NOS CURSOS:APRENDENDO COM ARTE E EDUCAÇÃO,E ENTRE NA RODA.QUANDO ABRIRÁ NOVAS TURMAS?ATT,TATIANA.
Licença Creative CommonsEste trabalho foi licenciado com
uma Licença Creative Commons
PARCERIAS