Compartilhar Facebook   
Favoritar
ACERVOPARA APROFUNDAR — ESPECIALISTAS DISCUTEM ARTICULAÇÃO ENTRE FAMÍLIA, COMUNIDADE E ESCOLA...

Especialistas discutem articulação entre família, comunidade e escola

Neste relato de prática, os pesquisadores Adriano Vieira, Maria José Reginato e Marilda Ferraz Ribeiro de Moraes apresentam experiências desenvolvidas em Bebedouro, no estado de São Paulo, no contexto do Projeto Ações em Rede. Esse Projeto, uma parceria entre Departamento Municipal de Educação, Cenpec e Fundação Volkswagen, ocorrido entre 2005 e 2009 em dois municípios paulistas – São Carlos e Bebedouro – tem a proposta de, por meio da articulação entre a escola, famílias, comunidades e outras organizações e iniciativas, ampliar as oportunidades de aprendizagem em um determinado território e tecer uma rede local voltada à educação integral e à garantia dos direitos de crianças e adolescentes.


Com base no reconhecimento do potencial da escola para mobilização de seu entorno, essas experiências buscam formas de efetivar essa articulação em prol da melhoria da educação e do compartilhamento de projetos que tornem possível o cumprimento das funções sociais da escola, como: fortalecimento da democracia, estímulo ao desenvolvimento da personalidade dos sujeitos; difusão e incremento de conhecimento e da cultura locais, inserção do sujeito no mundo, custódia da criança e do adolescente durante certo período da vida.


Como parte da metodologia do Projeto, conceberam-se ações como a realização de eventos em que as famílias apresentavam na escola seus costumes, tradições, referências culturais por meio de rodas de leitura, brincadeiras, jogos, dança, teatro, exposições. Esses saberes, que se tornaram base para o Memorial das famílias, da escola e da cidade, também passaram a ser fonte de conteúdos para o currículo escolar, a ser trabalhado nas diversas áreas do conhecimento.


Outra ação desenvolvida nesse processo foram os Seminários escola-família-comunidade, a fim de promover um avanço na politização do vínculo entre essas três instâncias educativas. O objetivo era discutir a qualidade da educação a partir da escola e propor ações para a melhoria desse espaço. Para isso, discutiram-se a situação real da escola e possíveis metas e objetivos do Plano Político-Pedagógico da escola. Nessas discussões, valorizaram-se a diversidade e a pluralidade das pessoas envolvidas, de modo a garantir a presença dos diversos segmentos envolvidos com a educação no local.


Dessa forma, buscou-se propiciar aos participantes – pais, alunos, professores, funcionários e parceiros – a oportunidade de estabelecer uma nova relação com o ambiente escolar, estimulando o desenvolvimento de outros espaços de aprendizagem – como faculdades, bibliotecas, centros culturais –, e fortalecendo o papel da escola como local de convivência na comunidade, o que significa um passo adiante para a politização desse vínculo.


O relato encerra com uma inspiradora e oportuna frase de Chico Science: "Um passo à frente e já não estaremos mais no mesmo lugar."


Acesse aqui o relato.


VOLTAR
COMENTÁRIO(S)
Faça login para comentar neste artigo, clique aqui!
ROSANA PALADINI CAVALCANTE DIASROSANA PALADINI CAVALCANTE DIAS disse em 31/03/2016 00h57
Olá, gostaria de receber esse material no meu email, por favor...tenho muitos alunos com dificuldades na leitura...obrigada!!
BRAIMABRAIMA disse em 11/05/2014 20h36
Hoje ou melhor, nunca uma escola funcionou e teve sucesso sem a união da comunidade escolar, da família, dos alunos e do governo. A harmonia de todos é o sucesso da escola e do aluno. Na teoria, isso é óbvio, só falta elaborar o projeto e fazê-lo funcionar na prática.
SANDRASANDRA disse em 21/03/2014 18h50
O artigo é bem sugestivo e reflexivo quanto a busca de práticas educacionais que venham cada vez mais estreitar essa relação entre escola , família e aluno. Muito Bom.
Licença Creative CommonsEste trabalho foi licenciado com
uma Licença Creative Commons
PARCERIAS