Compartilhar Facebook   
Favoritar
ACERVOEXPERIMENTE — DESPERTAR O ESPÍRITO INVESTIGATIVO DA TURMA...

Despertar o espírito investigativo da turma

É muito comum, na escola, solicitarmos pesquisas a nossos alunos. Contudo, muitas dessas pesquisas não partem de uma curiosidade ou dúvida real dos alunos e acaba se tornando uma atividade de cópia: o aluno acessa a internet, digita a palavra-chave no site de buscas e copia o conteúdo do primeiro ou segundo link que aparece. Muitas vezes, o estudante nem mesmo lê o texto que entrega ao professor.


Assim, a pesquisa perde seu caráter de investigação e construção de novos saberes e acaba se tornando uma tarefa de reprodução. Que tal repensar as pesquisas escolares para despertar o espírito investigativo em seus alunos? É esse o objetivo deste Experimente, destinado a turmas de Ensino Fundamental I. Para isso, partimos da criação de uma situação-problema.


Mas o que é um problema? Podemos definir problema como uma situação que se quer resolver e para a qual ainda não há um caminho conhecido que leve à solução. Assim, a pesquisa se torna necessária, o que estimula o espírito investigativo dos alunos. Quando propomos situações-problema aos alunos, temos que estar abertos a respostas inesperadas, arriscadas, que vão além da reprodução do considerado “correto” ou do que está no livro didático.


Objetivos:
• Criar situações-problema que despertem a curiosidade dos alunos.
• Desenvolver pesquisa para resolver a situação-problema.
• Escolher um gênero para apresentar resultados de pesquisa (cartaz, infográfico, exposição oral, verbete de curiosidade etc.).
• Apresentar a solução da situação-problema a outras turmas e/ou aos pais.


Público-alvo: alunos do Ensino Fundamental I.


Sugestão de encaminhamento:
Planejamento de uma situação-problema para entender “como vivem as formigas”
É interessante que a situação-problema surja de uma curiosidade ou de um interesse dos alunos ou, ainda, esteja relacionada a um conteúdo do planejamento prévio do professor. Imaginamos uma situação em que o interesse da turma pela vida dos insetos é despertado pela leitura de um livro de fábulas. Cada professor pode adaptar o planejamento a depender dos interesses de sua turma. Vamos imaginar uma situação.
O professor lê para os alunos uma versão da fábula A cigarra e a formiga. Depois das atividades de leitura e interpretação, questiona os alunos sobre as personagens: de quem mais gostaram? Por quê? Imaginemos que as crianças afirmam ter gostado mais da formiga e a relacionam com uma personagem de um filme infantil conhecido pela turma.
Explorando o interesse das crianças nesse inseto, o professor leva os alunos para observar um formigueiro no parquinho da escola ou em outro espaço (caso não haja essa possibilidade, é possível levar uma foto de um formigueiro) e pergunta: como será que vivem as formigas? Pra onde elas vão quando entram no buraquinho na terra? Onde elas moram? Onde dormem? Algumas hipóteses são levantadas nesse momento. Na conversa, o professor pergunta: como podemos descobrir como vivem as formigas? A turma ainda não sabe como chegar a essas respostas, então o professor propõe a situação-problema: “Como vivem as formigas?”.

1 2 3 
MAIS EXPERIMENTE
Fazer um jornal mural
O registro cotidiano de fatos relevantes para uma comunidade é uma prática...
Ler infográficos na sala de aula
A leitura não é uma habilidade neutra e uniforme que, uma vez aprendida,...
Brincar de trava-língua
“... encarnando-se nos corpos das crianças, as palavras tanto falam de...
Produzir um telejornal com a cara...
Quando um educador problematiza o ambiente educativo em que está inserido −...
Montar uma brinquedoteca
Engajar os alunos em práticas sociais do interesse deles pode trazer...
VOLTAR
COMENTÁRIO(S)
Faça login para comentar neste artigo, clique aqui!
FÁTIMA LUCYFÁTIMA LUCY disse em 23/05/2016 22h34
Bastante interessante ... e as crianças ficaram curiosas e interessadas.
FÁTIMA LUCYFÁTIMA LUCY disse em 23/05/2016 22h34
Bastante interessante ... e as crianças ficaram curiosas e interessadas.
MÁRCIAMÁRCIA disse em 28/09/2015 08h52
parabens
Licença Creative CommonsEste trabalho foi licenciado com
uma Licença Creative Commons
PARCERIAS