Compartilhar Facebook   
Favoritar
ACERVOEXPERIMENTE — DESPERTAR O ESPÍRITO INVESTIGATIVO DA TURMA...

Despertar o espírito investigativo da turma

É muito comum, na escola, solicitarmos pesquisas a nossos alunos. Contudo, muitas dessas pesquisas não partem de uma curiosidade ou dúvida real dos alunos e acaba se tornando uma atividade de cópia: o aluno acessa a internet, digita a palavra-chave no site de buscas e copia o conteúdo do primeiro ou segundo link que aparece. Muitas vezes, o estudante nem mesmo lê o texto que entrega ao professor.


Assim, a pesquisa perde seu caráter de investigação e construção de novos saberes e acaba se tornando uma tarefa de reprodução. Que tal repensar as pesquisas escolares para despertar o espírito investigativo em seus alunos? É esse o objetivo deste Experimente, destinado a turmas de Ensino Fundamental I. Para isso, partimos da criação de uma situação-problema.


Mas o que é um problema? Podemos definir problema como uma situação que se quer resolver e para a qual ainda não há um caminho conhecido que leve à solução. Assim, a pesquisa se torna necessária, o que estimula o espírito investigativo dos alunos. Quando propomos situações-problema aos alunos, temos que estar abertos a respostas inesperadas, arriscadas, que vão além da reprodução do considerado “correto” ou do que está no livro didático.


Objetivos:
• Criar situações-problema que despertem a curiosidade dos alunos.
• Desenvolver pesquisa para resolver a situação-problema.
• Escolher um gênero para apresentar resultados de pesquisa (cartaz, infográfico, exposição oral, verbete de curiosidade etc.).
• Apresentar a solução da situação-problema a outras turmas e/ou aos pais.


Público-alvo: alunos do Ensino Fundamental I.


Sugestão de encaminhamento:
Planejamento de uma situação-problema para entender “como vivem as formigas”
É interessante que a situação-problema surja de uma curiosidade ou de um interesse dos alunos ou, ainda, esteja relacionada a um conteúdo do planejamento prévio do professor. Imaginamos uma situação em que o interesse da turma pela vida dos insetos é despertado pela leitura de um livro de fábulas. Cada professor pode adaptar o planejamento a depender dos interesses de sua turma. Vamos imaginar uma situação.
O professor lê para os alunos uma versão da fábula A cigarra e a formiga. Depois das atividades de leitura e interpretação, questiona os alunos sobre as personagens: de quem mais gostaram? Por quê? Imaginemos que as crianças afirmam ter gostado mais da formiga e a relacionam com uma personagem de um filme infantil conhecido pela turma.
Explorando o interesse das crianças nesse inseto, o professor leva os alunos para observar um formigueiro no parquinho da escola ou em outro espaço (caso não haja essa possibilidade, é possível levar uma foto de um formigueiro) e pergunta: como será que vivem as formigas? Pra onde elas vão quando entram no buraquinho na terra? Onde elas moram? Onde dormem? Algumas hipóteses são levantadas nesse momento. Na conversa, o professor pergunta: como podemos descobrir como vivem as formigas? A turma ainda não sabe como chegar a essas respostas, então o professor propõe a situação-problema: “Como vivem as formigas?”.

1 2 3 
MAIS EXPERIMENTE
Recriar histórias com as crianças
A sequência de atividades proposta passa pela leitura e se envereda pelos caminhos...
Investigar as estratégias dos...
O anúncio publicitário é um gênero textual que tem por objetivo...
Produzir uma playlist comentada com...
Início de conversa “Dedico esta música para Guilhermina Viana, do...
Praticar escrita e reescrita...
As produções escritas na escola muitas vezes se configuram como um desafio...
Trabalhar com cantigas brasileiras
As canções já fazem parte do cotidiano escolar, principalmente da...
VOLTAR
COMENTÁRIO(S)
Faça login para comentar neste artigo, clique aqui!
FÁTIMA LUCYFÁTIMA LUCY disse em 23/05/2016 22h34
Bastante interessante ... e as crianças ficaram curiosas e interessadas.
FÁTIMA LUCYFÁTIMA LUCY disse em 23/05/2016 22h34
Bastante interessante ... e as crianças ficaram curiosas e interessadas.
MÁRCIAMÁRCIA disse em 28/09/2015 08h52
parabens
Licença Creative CommonsEste trabalho foi licenciado com
uma Licença Creative Commons
PARCERIAS