Compartilhar Facebook   
Favoritar
ACERVOEXPERIMENTE — CRIAR JOGOS DE PERCURSO COM BASE EM HISTÓRIAS...

Criar jogos de percurso com base em histórias

Jogar é uma atividade da qual as crianças sempre participam com prazer. À primeira vista, pode parecer apenas diversão com amigos. Mas você já observou o quanto se aprende jogando? A cada jogada é necessário resolver problemas e, para isso, desenvolvem-se estratégias e aprendizagens.


Nos jogos de percurso, ao lançar os dados e avançar com o peão pelas casas do trajeto, as crianças vão compreendendo o sistema numérico. Avançar no percurso de acordo com o número tirado no dado implica recitar a série numérica e enumerar as casas, isto é, tentar fazer que o número pronunciado corresponda ao objeto contado. Ao mesmo tempo, avançam na apropriação da leitura, uma vez que precisam ler as regras do jogo e as cartas que correspondem à casa onde seu peão caiu. Por fim, mas não menos importante, aprendem que ganhar e perder fazem parte do jogo.


Por essas e tantas outras razões é que os jogos vêm sendo cada vez mais incorporados ao currículo das escolas. Então, que tal criar um jogo de percurso com seus alunos? Ou melhor, ajudá-los para que eles mesmos produzam seu próprio jogo? Eles confeccionarão o tabuleiro, as regras do jogo, as cartas, os peões e o dado. Para tanto, escolherão uma história que será a “narrativa” do percurso. Com isso, aprenderão muito sobre o sistema alfabético.


Aprenderão, ainda, a aceitar as regras do jogo, pois sem elas não se pode nem iniciar a partida. Perceberão, ao longo do jogo, que as regras até podem ser modificadas, desde que isso seja discutido e acordado com os parceiros. Essa vivência com certeza os ajudará, inclusive, a compreender a importância das regras para o convívio social.
Ao final, propomos a realização de um festival de jogos, em que a turma apresente suas criações e ensine os visitantes a jogar com elas.


Público-alvo: alunos da Educação Infantil e do Ensino Fundamental (anos iniciais).


Objetivos:
• Ampliar o repertório sobre jogos.
• Recitar oralmente uma sucessão ordenada de números.
• Reconhecer e produzir a escrita de numerais.
• Designar oralmente uma quantidade em situação de contagem.
• Conhecer e produzir textos instrucionais.
• Organizar a própria ação com base nas indicações prescritas pelas regras do jogo.
• Avançar na apropriação da leitura.
• Colaborar em situações de produção coletiva de textos, acompanhando seu desenvolvimento, dando ideias a respeito do que deve ser escrito, suprimindo ou modificando trechos quando necessário para melhor entendimento do leitor.


Material
• Papelão quadrado de mais ou menos 60 cm.
• Canetas hidrocor.
• Lápis de cor.
• Tampas de garrafa para confeccionar os peões.
• Tesoura.
• Cola branca.
• Papel A4.
• Cartolina para confeccionar os dados.

1 2 3 4 5 
MAIS EXPERIMENTE
Produzir uma playlist comentada com...
Início de conversa “Dedico esta música para Guilhermina Viana, do...
Criar perfil de personagens...
Que tal aliar as leituras literárias da turma ao uso das redes sociais digitais? A...
Brincar de trava-língua
“... encarnando-se nos corpos das crianças, as palavras tanto falam de...
Realizar uma oficina de navegação...
Início de conversa:Como faço para chegar a determinado lugar? Como saber em...
Montar uma brinquedoteca
Engajar os alunos em práticas sociais do interesse deles pode trazer...
VOLTAR
COMENTÁRIO(S)
Faça login para comentar neste artigo, clique aqui!
FATIMAFATIMA disse em 10/11/2018 08h12
Plataforma muito boa! Parabéns
LUTECIA MARTINS DA SILVALUTECIA MARTINS DA SILVA disse em 30/04/2018 20h31
as As brincadeira sempre inovar o conhecimento e a busca a historia da geografia nos jogos se toram mais agradável.
OLINDAOLINDA disse em 06/07/2015 05h50
Estou muito satisfeita com as pesquisas e meus estudos na Plataforma Letramento.
OLINDAOLINDA disse em 06/07/2015 05h31
Uma briquedoteca será uma oportuidade de inovar o conhecimento,da história do Brasil e seu conhecimento geográfico,utilizando o acessa da UE.
Licença Creative CommonsEste trabalho foi licenciado com
uma Licença Creative Commons
PARCERIAS