Compartilhar Facebook   
Favoritar
ACERVOEXPERIMENTE — PRATICAR ESCRITA E REESCRITA TEXTUAL COM A TURMA...

Praticar escrita e reescrita textual com a turma

As produções escritas na escola muitas vezes se configuram como um desafio para professores e alunos. Para que os alunos avancem em vários aspectos de suas produções escritas, não basta propor várias delas, diversificando gêneros e situações comunicativas, ao longo do ano. É preciso também propor e orientar reescritas, enfocando, em cada oportunidade, alguns aspectos textuais, linguísticos e discursivos.


Sírio Possenti, no fascículo Aprender a escrever (re)escrevendo, afirma que: 


Contudo, quando falamos em “seguir regras”, muitas vezes a escola se concentra apenas em regras de ortografia, pontuação, acentuação etc. As regras de uma produção textual dependem do gênero a ser produzido, da situação comunicativa criada, ou seja, é necessário observar se o texto atende sua função social e as intenções comunicativas dos interlocutores. Muitas vezes, a tão valorizada ortografia pode ser propositalmente alterada, a depender das intenções comunicativas do texto.


Leia a tirinha de Laerte (POSSENTI, 2005, p. 34 - baixe ao lado o material na íntegra). Caso nós “corrigíssemos” a grafia das palavras (em vez de “O Ringo Starr” trocar por “O Ringo está”, por exemplo), a tira perderia o efeito de humor, que faz um jogo de palavras com os nomes e as características dos integrantes da banda The Beatles.


Além disso, muitas vezes nos frustramos porque acreditamos que, se já ensinamos um determinado conteúdo de ortografia, pontuação, acentuação, concordâncias etc., os alunos não poderiam errar em suas produções escritas. Possenti (2005, p. 15) também destaca que “o conhecimento de regras (decoradas ou fora de contexto) não leva necessariamente ao acerto na prática. Muitos alunos acertam exercícios, mas erram quando escrevem textos”. Por isso, precisamos levar em conta que a escrita é uma prática social (e não uma junção de frases soltas dos exercícios de gramática) para propô-la em sala de aula.


Primeiro ponto: precisamos de práticas de produção textual que façam sentido aos estudantes. “Fazer sentido” significa, basicamente, que haja alguma motivação real para escrever o texto, embora, na escola, algum tipo de simulação seja inevitável. Basta pensar em nossas produções cotidianas − quando vamos escrever, temos uma motivação para isso: uma reclamação em um site relacionada a uma compra não recebida; um e-mail com dúvidas sobre um curso; um relatório sobre a última reunião de coordenação etc.


Também é preciso algum material (informações, fatos, opiniões) sobre o qual o texto possa ser escrito, ou seja, é preciso dar repertório aos alunos. Além disso, em muitos casos, nós pesquisamos, comparamos informações, fazemos anotações, tiramos fotos ou cópias, discutimos com conhecidos sobre o assunto... Ou seja, não escrevemos por escrever e também não escrevemos sobre “temas livres”, sem repertório ou função social, como é comum na escola.


Neste Experimente, vamos propor um planejamento de escrita e reescrita sobre o gênero história em quadrinhos (HQ).


Objetivos: produzir uma revista de histórias em quadrinhos (HQ) da turma; trabalhar aspectos da linguagem verbal e não verbal do gênero; sistematizar e revisar conteúdos de pontuação; sistematizar e revisar aspectos da progressão narrativa no gênero.


Público-alvo: alunos de Ensino Fundamental I.


Materiais: lápis de cores variadas, folhas de sulfite, canetinhas, caderno, gibis diversos.


1 2 3 
MAIS EXPERIMENTE
Criar nanocontos com a turma
Muitas vezes, ao trabalhar gêneros literários em sala de aula, temos...
Realizar uma roda de cordel
O cordel é um gênero cujos textos contêm grande diversidade de temas....
Ler e contar clássicos para...
Já faz tempo que os contos clássicos – também denominados...
Criar jogos de percurso com base em...
Jogar é uma atividade da qual as crianças sempre participam com prazer....
Conhecer pessoas por e-mail
As Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) alteraram...
VOLTAR
COMENTÁRIO(S)
Faça login para comentar neste artigo, clique aqui!
MARIA DAS GRAÇASMARIA DAS GRAÇAS disse em 23/04/2018 12h09
material fantástico e completamente aproveitável por todos os professores. Parabéns VW.
HELENA DO CARMOHELENA DO CARMO disse em 11/03/2017 23h52
Material maravilhoso, vocês estão me dando uma ótima oportunidade de poder trabalhar com alunos que possuem dificuldades de aprendizagem. Muito obrigado mesmo.
ADENILSONADENILSON disse em 07/05/2016 15h26
Muito bom o material, vou utilizá-lo com meus alunos...
NEIDE JOANA DE FREITAS ALVESNEIDE JOANA DE FREITAS ALVES disse em 23/04/2016 12h49
Trabalhar com Gibi será uma atividade estimulante. O processo de escrita e reescrita é capaz de envolver os alunos e fazer com que eles mesmos apliquem e pratiquem sua aprendizagem
JOSEJOSE disse em 22/04/2016 14h22
Gostei da maneira que foi pensada exprorar a vida cotidiana dos alunos e uma maneira de facilitar a sua escrita e sua oratória.
NEUSANEUSA disse em 15/04/2016 18h19
DESPERTAR O GOSTO PELA ESCRITA E REESCRITA DE FORMA LÚDICA POSSIBILITA CONQUISTAR NOVOS LEITORES E POSSIVEIS ESCRITORES
GRAZIELEGRAZIELE disse em 10/04/2016 19h30
Trabalhar a escrita e reescrita é um importante processo que deve orientar a produção textual, ressaltando a importância de aspectos teóricos e metodologias que permitam ao professor trabalhar com esta questão de forma a priorizar a coerência estabelecida pelo aluno para a redação.
CRISTIANA SOARES DOS SANTOSCRISTIANA SOARES DOS SANTOS disse em 08/04/2016 22h14
A escrita e reescrita é importante para que os alunos desenvolvam habilidades, como recriar textos. Dando ideias a nova produção.
DAMIANA OLIVEIRA SILVADAMIANA OLIVEIRA SILVA disse em 07/04/2016 22h45
Trabalhar a escrita e reescrita com as alunos despertando neles a necessidade de produzirem textos que evidenciem suas ideias de forma clara e compreensível.
ZILDA JANETEZILDA JANETE disse em 07/04/2016 00h51
Excelente trabalho envolvendo escrita e reescrita, quando colocamos nossos alunos em contato com a escrita estamos lhes dando condições para que pensem e coloquem em jogo tudo que sabem. É importante ressaltar que o avanço do aluno depende que seus direitos assegurados.
Licença Creative CommonsEste trabalho foi licenciado com
uma Licença Creative Commons
PARCERIAS